Impacto da COVID-19 nas compras transfronteiriças

Para compreender melhor o impacto preciso do coronavírus nos exportadores, inquirimos consumidores em nove países diferentes, incluindo Alemanha, Canadá, Espanha, EUA, França, Itália, Países Baixos, Polónia e Reino Unido. Perguntámos-lhes em que medida o surto mudou os comportamentos de compras transfronteiriças e explorámos alguns dos motivos subjacentes.

Impacto nas situações financeiras das pessoas

Vamos começar por analisar as perceções dos consumidores relativamente ao impacto do vírus na economia do respetivo país, bem como nas respetivas finanças pessoais. Em Espanha e Itália, mais de 95% das pessoas estão compreensivelmente preocupadas com a crise económica. Em França, o número é um pouco menor, 89%. Os compradores alemães são os menos preocupados de entre os inquiridos, com 81%.1

Se olharmos para a Europa Ocidental como um todo, a situação económica de 30% a 40% das pessoas já piorou relativamente ao ano passado. O maior impacto faz-se sentir em Espanha, com 39% das pessoas afetadas.2

De que forma estes números estão a influenciar os comportamentos dos compradores?

Os consumidores estão a comprar mais comida online

No que toca ao impacto nas empresas, as lojas físicas estão entre as mais afetadas. Encerramentos forçados, horários de funcionamento reduzidos e uma base de clientes confinados em casa afetaram as lojas de produtos alimentares e de cuidados pessoais. 20% a 40% das pessoas na Europa Ocidental afirma comprar estes bens online mais frequentemente do que antes da pandemia. Contudo, este número é um pouco mais baixo na República Checa (19%).3

Para satisfazer esta procura em crescimento, as empresas online podem dar prioridade aos artigos mais populares e, sempre que possível, otimizar os tempos de entrega.

Os consumidores estão a adiar as grandes compras

Os compradores também estão a adiar a compra de artigos mais caros para depois da crise. No setor do vestuário, por exemplo, entre 30% e 40% das pessoas estão a adiar as compras, com os italianos a serem os mais cautelosos (55%) e os neerlandeses os menos cautelosos (28%).4 O que podem as empresas fazer para estimular a procura e incentivar os compradores a arriscarem? Os descontos em produtos por tempo limitado podem ser uma opção. Os planos de prestações mensais também são populares entre os consumidores, especialmente tendo em conta que a maioria dos inquiridos indica preferir empresas que oferecem pagamentos flexíveis e benefícios durante o surto.5

O volume de compras transfronteiriças mantém-se alto

Antes da pandemia, as compras transfronteiriças eram frequentes na região EMEA e para além dela, com 46% dos consumidores italianos e polacos e 41% em Espanha a comprarem em sites estrangeiros, pelo menos, uma vez por mês.6

Gráfico que mostra a frequência de compras online transfronteiriças antes da pandemia

O vestuário era uma das categorias mais populares, com cerca de metade dos consumidores dos EUA (48%) e da Polónia (51%) a comprarem moda e vestuário para exterior em sites estrangeiros. De igual modo, cerca de um quarto dos consumidores dos EUA (24%), de Itália (22%) e de Espanha (22%) compravam bens a retalhistas localizados noutro país.7

Gráfico que mostra as categoria de produtos mais populares em compras fronteiriças durante a pandemia da COVID-19

De que forma este comportamento mudou desde o coronavírus? Na região EMEA, o comportamento de cerca de metade dos compradores internacionais não mudou em nada, não obstante as perturbações nas cadeias de logística globais que têm levado a tempos de envio mais longos e a preocupações crescentes. Isto é especialmente verdade na Alemanha e nos Países Baixos, onde quase 60% dos consumidores não mudaram em nada os hábitos de compras transfronteiriças. Contudo, França, Polónia e Espanha registam a maior queda nas compras em sites estrangeiros, ao passo que 1 em cada 4 consumidores italianos (26%) aumentou a frequência de aquisições transfronteiriças.

Gráfico que mostra a alteração da frequência de compras online transfronteiriças durante a pandemia

A situação é semelhante nos EUA e no Canadá, onde um terço dos consumidores afirma estar a efetuar mais compras em lojas internacionais do que antes do surto. O principal motivo deste aumento é o facto de muitos consumidores terem mais tempo disponível para navegar na Web e comprar online8, especialmente nos Países Baixos, onde 50% das pessoas afirmam ser esta a principal razão para comprarem mais produtos em sites internacionais.9

Gráfico que explica os principais motivos que levam os compradores a efetuarem mais compras transfronteiriças durante a pandemia da COVID-19

No caso dos consumidores que indicaram estar a comprar menos em sites internacionais, os principais motivos incluem tempos de entrega mais lentos (49% dos compradores do Reino Unido), a intenção de apoiar as lojas e produtos locais (43% dos compradores italianos) e um agravamento geral das finanças pessoais.10 Para os exportadores, promover produtos através de prospeção e publicidade de afiliado, em conjunto com preços promocionais, pode ajudar a contrariar esta tendência. Sempre que possível, também pode explorar opções de entrega mais rápidas. Encontra mais detalhes sobre este tópico neste artigo.

Gráfico que explica os principais motivos que levam os compradores a limitarem as compras transfronteiriças durante a pandemia da COVID-19

Recursos adicionais para exportadores

À medida que a pandemia continua, certifique-se de que acompanha as últimas tendências do consumidor e esteja a postos para adaptar as suas táticas em conformidade. Por exemplo, o Market Finder é um recurso útil para logística e dados demográficos de públicos-alvo. Este artigo sobre marketing em tempos de mudança também pode ser útil. Para ter uma ideia melhor daquilo que os consumidores pretendem neste momento, experimente a ferramenta Shopping Insights e acompanhe as categorias de retalho em rápida ascensão na Pesquisa Google. O Google Trends pode ajudar a acompanhar os padrões de pesquisa dos consumidores à medida que surgem. A ferramenta Encontrar o meu público-alvo é útil para descobrir novas formas de alcançar o seu público-alvo.


  1. Estudo GfK Consumer Pulse 

  2. Estudo GfK Consumer Pulse 

  3. Estudo GfK Consumer Pulse 

  4. Estudo GfK Consumer Pulse 

  5. GlobalWebIndex (GWI) 

  6. Impacto da COVID-19 nas compras transfronteiriças, estudo de pesquisa de mercado da Kantar, n=500 por país, população online com mais de 18 anos, abril de 2020 

  7. Impacto da COVID-19 nas compras transfronteiriças, estudo de pesquisa de mercado da Kantar, n=500 por país, população online com mais de 18 anos, abril de 2020 

  8. Impacto da COVID-19 nas compras transfronteiriças, estudo de pesquisa de mercado da Kantar, n=500 por país, população online com mais de 18 anos, abril de 2020 

  9. Impacto da COVID-19 nas compras transfronteiriças, estudo de pesquisa de mercado da Kantar, n=500 por país, população online com mais de 18 anos, abril de 2020 

  10. Impacto da COVID-19 nas compras transfronteiriças, estudo de pesquisa de mercado da Kantar, n=500 por país, população online com mais de 18 anos, abril de 2020